Simperj

Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro
Desde 1947.

Opinião

MENSAGEM SINTETIZANDO A REVOLTA DE UM DIRETOR DO NOSSO SINDICATO, ENVIADA AO PRESIDENTE.

Simples desabafo para o nosso presidente.Gostaria de saber se a PLASTIVIDA, em defesa dos fabricantes do Brasil de fraldas descartáveis, anexou algum documento informando como são fabricadas e descartadas as fraldas descartáveis produzidas nos principais países do Mundo.
O que fazemos diferente do mundo inteiro (Matéria prima para produção/fabricação, estrutura das fraldas e descarte)?
Proibir o uso do produto normalmente chamado plástico é muito fácil, gostaria de saber quanto eles estão reservando de verba para as universidades brasileiras desenvolverem novas tecnologias.
Eles também devem estar conscientes que todos os produtos sofrem modificações tecnológicas ao longo do tempo. Proibir a produção sem dar uma alternativa em substituição... É muito vago. Logo eles devem proibir a fabricação na nossa nação de qualquer produto chamado plástico.
Vamos fechar várias empresas que geram bilhões em impostos e empregam milhares de pessoas.
Também gostaria de saber se os deputados podem indicar ou comprovar tecnicamente que o Brasil pratica alguma irregularidade na produção de produtos chamados de plástico.
Vamos observar o percentual de produtos fabricados com plástico dentro de um hospitais para salvar vidas.( mangueiras do soro, seringas, fraldas, recipientes de remédios, aventais que não permitem a passagem de sangue para os profissionais da área, etc )
Sinceramente o que está acontecendo no nosso país é um monte de incompetentes querendo aparecer sem oferecer alternativas, uma vez que eles é que estão legislando em favor do bem estar da população.
Sugiro: Que todos os sindicatos, fabricantes de matéria prima e laboratórios responsáveis por desenvolvimento de tecnologia, se unam para defender e apoiar o desenvolvimento de tecnologias com verbas apropriadas.
Outro grande problema é que ainda não sabemos escolher os nossos legisladores.
Forte abraço.Fernando Brites

Opiniões anteriores