Como fazer: descarte correto do plástico

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Nas condições preocupantes e atuais que o planeta se encontra, a reciclagem não é mais uma opção, e sim um dever de cada um como cidadão consciente no mundo.

Mesmo assim, muita gente não faz o descarte correto do plástico. E não é nem por maldade, mas por falta de conhecimento e por acreditar que é muito caro e complicado.

Muito essencial em nossa vida, o plástico não deve ser visto como o vilão – se consumido de forma responsável e reciclado corretamente, esse material só tem a nos ajudar no dia a dia!

Um dado alarmante é que, por ano, 8 milhões de toneladas do plástico vão parar nos nossos oceanos, isso porque muitos ainda negligenciam  o descarte correto. Esse ato impacta diretamente na vida marinha, com animais ingerindo o composto e morrendo por causa disso.

E nós podemos fazer a diferença na vida desses animais ao descartar corretamente o plástico. Aliás, em todo ecossistema, inclusive nós mesmos. Quando comemos peixe, por exemplo, podemos estar ingerindo as mesmas toxinas que ele consumiu do plástico nos oceanos.

 

Leia também: Estradas feitas de plástico já são realidade, conheça a iniciativa!

 

Saiba 7 benefícios do descarte correto do plástico

  1. Previne impactos ambientais e mantém o equilíbrio em todos os ecossistemas da Terra;
  2. Gera mais consumo consciente, uma vez que você compreende os riscos do descarte incorreto e de como ele afeta nosso planeta;
  3. Incentiva empresas e cooperativas a continuarem trabalhando com materiais recicláveis;
  4. Cria mais oportunidades de empregos, principalmente para famílias de baixa renda;
  5. Gera economia nos nossos recursos naturais;
  6. Trabalha a conscientização global, uma vez que todos cidadãos se propõem a fazer a mesma coisa pelo planeta;
  7. O plástico reciclado pode ser usado em sistemas de geração de energia solar e fotovoltaica.

O descarte

Em casa:

É importante ter um recipiente só para o plástico. Por preguiça e até mesmo “falta de tempo”, algumas pessoas preferem misturar todo o lixo, mas não custa um segundo descartar o plástico em uma lixeira ao lado.

Aliás, essa é uma tarefa divertida para as crianças! A cada vez que ajudarem a colocar o lixo no lugar correto, incentive-as dando pontos!

Quando estiverem acumulados, dê algum prêmio para elas, passeios no parque, ingressos para o cinema, etc. Dessa maneira toda família estará engajada no descarte correto do plástico.

No trabalho:

Se na empresa que você trabalha ainda não há a separação de lixo, converse com a equipe do RH para mudar isso o mais rápido possível.

Como passamos a maior parte do nosso tempo dentro do escritório, a produção de lixo se torna enorme. E o uso diário de copos e objetos descartáveis faz com que essa necessidade cresça ainda mais. Deixar esses descartáveis de lado e trocá-los por canecas, por exemplo, também é uma boa atitude.

No mercado:

Reduza o número de sacolas plásticas, caso você as utilize em suas compras. Um jeito simples de evitar o desperdício é redistribuindo mais itens em uma única sacola.

Depois do mercado, reutilize as sacolinhas como sacos de lixo em casa, para evitar a compra de mais material plástico. Se quiser substituir as sacolas, carrinhos de feira são uma boa opção!

Descarte da garrafa PET

Ela é atualmente o material mais conhecido por suas centenas de utilidades quando reciclada. Inclusive, nesse post de “faça você mesmo”, te mostramos 13 formas de reutilizar garrafas PET.

Empresas e cooperativas ganham muito lucro com a reciclagem e o reaproveitamento desse item, transformando-o em outro produto ou até mesmo deixando nova a matéria prima.

Atenção e engajamento em dobro quando for descartar esse material!

 

Descubra: 7 ideias incríveis de reciclagem com garrafas PET

 

Outros itens para ficar de olho:

  • Copos, pratos e talheres descartáveis;
  • Brinquedos de plástico;
  • Para-choque de carros;
  • Sacos de plástico;
  • Canos de PVC;
  • Materiais diversos de plástico.

 

É preciso prestar atenção: nem todos materiais de plástico e/ou descartáveis podem ser reciclados atualmente no Brasil, embora fora do país sim. Confira abaixo:

  • Fraldas;
  • Absorventes;
  • Peças de plástico utilizadas na criação de computadores, celulares e outros materiais eletrônicos;
  • Plástico tipo celofane;
  • Espuma;
  • Embalagens plásticas metalizadas, muito utilizadas em alimentos;
  • Tomadas;
  • Adesivos;
  • Cabos de panela.

Uma opção inteligente para substituir os absorventes de plástico, por exemplo, são coletores menstruais e absorventes ecológicos, que vêm ganhando cada vez mais adeptas no mundo todo – e crescendo exponencialmente no Brasil!

O Canadá já desenvolveu uma maneira de reciclar as fraldas de plástico, e esperamos que logo essa tecnologia seja trazida ao Brasil.

O papel do governo e das empresas

É responsabilidade destas duas esferas incentivar e ensinar a população a fazer o descarte correto do plástico.

O governo deve buscar iniciativas para reduzir a poluição nos oceanos, seja criando opções sustentáveis em sua legislação, seja estimulando pesquisas científicas e universidades a propor novas saídas para esse problema.

Já a iniciativa privada tem uma responsabilidade ainda maior, visto que é ela quem coloca o plástico no mercado.

Programas de desenvolvimento sustentável e de reciclagem de materiais plásticos são algumas das ações que empresas devem tomar em prol do meio ambiente. Como somos consumidores, isso também é algo que podemos – e devemos – sempre cobrar.

A atitude que você toma diariamente vai reverberar nas próximas gerações. Pense no futuro e incentive amigos, familiares, vizinhos e colegas a fazer o descarte correto não somente do plástico, mas de todo lixo que você produz! Engaje-se também a proteger o planeta!

Agora que você já sabe maneiras corretas de jogar fora o plástico, que tal adotar em casa? Compartilhe esse artigo com alguém que topa agir junto com você e veja mais dicas no blog do SIMPERJ.

Associe-se